Qual o custo da cesta básica no Brasil?

Tempo de leitura: 3 min

Escrito por Carlos Meira
em julho 7, 2022

JUNTE-SE Á NOSSA LISTA DE SUBSCRITORES

Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos e com prioridade

100% livre de spam.

Compartilhe agora mesmo:

Qual o custo da cesta básica no Brasil?

O aumento da inflação está deteriorando o poder aquisitivo da população e forçando muitas famílias a mudar seus hábitos de consumo, principalmente no supermercado.

Os dados oficiais mais recentes sobre a inflação no país mostram que o salário mínimo já não é suficiente para comprar os alimentos da cesta básica, evidenciando como a alta generalizada dos preços está pesando no orçamento das famílias.

O problema é que não são apenas os alimentos que estão sofrendo remarcações frequentes de preços nas gôndolas, mas também diversos outros produtos e serviços essenciais, obrigando os consumidores a obter crédito para conseguir fechar as contas no fim do mês.

Neste artigo, vamos entender melhor o encarecimento da cesta básica em todas as regiões do país e o que está por trás desse fenômeno.

Salário mínimo não está acompanhando alta dos preços

Mesmo com um reajuste de 10% no início deste ano, o valor do salário mínimo não está conseguindo acompanhar a alta galopante dos preços dos itens básicos de consumo, colocando muitas famílias de baixa renda em situação de insegurança alimentar.

Dados divulgados recentemente pela Fundação Procon de São Paulo mostram que a cesta básica ficou 1,36% mais cara no mês de maio, com um custo geral de R$ 1.226,12, ficando, portanto, R$ 14,12 acima do piso salarial vigente no país neste momento, de US$ 1.212,00.

A cesta básica é composta por itens de primeira necessidade e, desde 2020, vem aumentando de valor de forma constante, obrigando o Banco Central a elevar as taxas de juros do país para combater a inflação que, nos últimos doze meses, acumula uma alta de 11,73%.

Alta da inflação provoca aumento de juros

A taxa Selic, definida a cada quarenta e cinco dias pelo Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central, serve de base para a correção de contratos financeiros no país e avança no patamar de dois dígitos a 13,75% atualmente. A última alta do Copom deixou as portas abertas para novas elevações de juros num futuro próximo.

Quando a Selic sobe, as condições financeiras ficam mais apertadas, em razão do maior custo de financiamentos, de compras parceladas e das taxas de cartões de crédito, por exemplo. Isso força uma queda no consumo, além de desincentivar o investimento de empresas em sua expansão, o que prejudica o crescimento econômico e o nível de renda da população.

Cesta básica sobe nas principais capitais do país

A última pesquisa realizada pelo Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese) mostra que todas as dezessete capitais pesquisadas registraram forte aumento dos preços dos produtos da cesta básica, obrigando muitas famílias a mudar seus hábitos de consumo, especialmente as de baixa renda.

As altas mais expressivas em maio ocorreram nas seguintes capitais:

  • Campo Grande (6,42%);
  • Porto Alegre (6,34%);
  • Florianópolis (5,71%);
  • São Paulo (5,62%);
  • Curitiba (5,37%);
  • Brasília (5,24%);
  • Aracaju (5,04%).

Além disso, a menor variação foi registrada na capital da Paraíba, João Pessoa, onde a correção dos produtos da cesta básica foi de 1,03%, bem abaixo das outras cidades que compuseram o levantamento.

O que está causando esse encarecimento da cesta básica?

Diversos fatores explicam essa alta expressiva dos preços. Em primeiro lugar, é preciso lembrar que não se trata de um fenômeno local, mas de escala global, na medida em que a inflação está subindo nas principais economias do mundo.

A razão dessa deterioração generalizada do poder aquisitivo em várias regiões do mundo se deve aos choques provocados pela pandemia, que levaram uma desestabilização das cadeias de suprimentos.

A crise sanitária causou uma brusca alteração nos padrões de consumo de toda a população, na medida em que as pessoas ficaram mais tempo em casa. Em razão das incertezas desse cenário, as empresas, especialmente a indústria, não recompuseram seus estoques nem investiram em aumento de capacidade produtiva.

Os estímulos econômicos, na forma de auxílios emergenciais, fizeram com que os gastos das famílias tivessem uma robusta recuperação, que não foi acompanhada pelo aumento da oferta. Isso acabou gerando um grave desequilíbrio de mercado. 

Quando a demanda agregada fica acima da capacidade de abastecimento da economia, o efeito colateral é a inflação, isto é, o aumento generalizado dos preços.Além disso, a eclosão de uma grande guerra no Leste Europeu entre dois grandes países exportadores de commodities, Rússia e Ucrânia, fez disparar os preços de energia, em especial, os do gás natural e do petróleo no mercado internacional. Os efeitos no Brasil foram sentidos nos preços da gasolina e do diesel, que vêm sofrendo aumentos sucessivos nos últimos meses.

Compartilhe agora mesmo:

Você vai gostar também:

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe um comentário


*


*


Seja o primeiro a comentar!

JUNTE-SE Á NOSSA LISTA DE SUBSCRITORES

Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos e com prioridade

100% livre de spam.

Damos valor à sua privacidade

Nós e os nossos parceiros armazenamos ou acedemos a informações dos dispositivos, tais como cookies, e processamos dados pessoais, tais como identificadores exclusivos e informações padrão enviadas pelos dispositivos, para as finalidades descritas abaixo. Poderá clicar para consentir o processamento por nossa parte e pela parte dos nossos parceiros para tais finalidades. Em alternativa, poderá clicar para recusar o consentimento, ou aceder a informações mais pormenorizadas e alterar as suas preferências antes de dar consentimento. As suas preferências serão aplicadas apenas a este website.

Cookies estritamente necessários

Estes cookies são necessários para que o website funcione e não podem ser desligados nos nossos sistemas. Normalmente, eles só são configurados em resposta a ações levadas a cabo por si e que correspondem a uma solicitação de serviços, tais como definir as suas preferências de privacidade, iniciar sessão ou preencher formulários. Pode configurar o seu navegador para bloquear ou alertá-lo(a) sobre esses cookies, mas algumas partes do website não funcionarão. Estes cookies não armazenam qualquer informação pessoal identificável.

Cookies de desempenho

Estes cookies permitem-nos contar visitas e fontes de tráfego, para que possamos medir e melhorar o desempenho do nosso website. Eles ajudam-nos a saber quais são as páginas mais e menos populares e a ver como os visitantes se movimentam pelo website. Todas as informações recolhidas por estes cookies são agregadas e, por conseguinte, anónimas. Se não permitir estes cookies, não saberemos quando visitou o nosso site.

Cookies de funcionalidade

Estes cookies permitem que o site forneça uma funcionalidade e personalização melhoradas. Podem ser estabelecidos por nós ou por fornecedores externos cujos serviços adicionámos às nossas páginas. Se não permitir estes cookies algumas destas funcionalidades, ou mesmo todas, podem não atuar corretamente.

Cookies de publicidade

Estes cookies podem ser estabelecidos através do nosso site pelos nossos parceiros de publicidade. Podem ser usados por essas empresas para construir um perfil sobre os seus interesses e mostrar-lhe anúncios relevantes em outros websites. Eles não armazenam diretamente informações pessoais, mas são baseados na identificação exclusiva do seu navegador e dispositivo de internet. Se não permitir estes cookies, terá menos publicidade direcionada.

Visite as nossas páginas de Políticas de privacidade e Termos e condições.

Importante: Este site faz uso de cookies que podem conter informações de rastreamento sobre os visitantes.